Um sintoma de ansiedade em pacientes com demência é a agitação e inquietude nas mãos e os sinais incluem puxar as roupas da cama, esfregar ou apertar as mãos, torcer os dedos, etc. Manter nesses momentos as mãos ocupadas com actividades manuais é uma forma de terapia sensorial.

Independentemente do tipo de actividade ou dos objectos utilizados, o importante é ter as mãos ocupadas em actividades que sejam seguras e relaxantes e ninguém melhor que o familiar cuidador conhece os gostos do paciente.

A segurança diz respeito à necessidade de estar atento a situações potencialmente perigosas. Alguns seniores, por exemplo, tendem a colocar objectos na boca e nesse caso é preciso estar atento a pequenos objectos que possam provocar asfixia.

Outros idosos têm tendência a amarrar cordas em torno dos dedos (ou pescoços!) e restringir a circulação sanguínea. Nesse caso o cuidador deve evitar que o paciente tenha acesso a objectos como fitas ou cordas.
A execução de tarefas domésticas é uma forma de o doente manter as mãos ocupadas. Como exemplo, sugerimos dobrar a roupa, reunir uma pilha de papéis sem importância e pedir para o ajudar a organizá-los, colocar uma gaveta desarrumada em cima da mesa e sugerir ao paciente para arrumar o seu conteúdo, arranjar um baralho de cartas e deixá-lo fazer o que quiser com as cartas, etc.

O cuidador deve utilizar objectos que sejam familiares ao paciente e que o estimulem sensorialmente através de cores, texturas e odores.

Alguns seniores com demência sentem-se confortáveis quando têm por perto objectos familiares como uma bolsa ou carteira. Nesse caso coloque dentro da bolsa ou carteira antiga algum dinheiro falso ou cartões de crédito sem validade para que o familiar doente possa mexer e vasculhar sempre que quiser.

Fonte: Clique aqui.